Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

O que uma plataforma de e-commerces deve oferecer?

Atualmente, as plataformas de e-commerce estão por toda parte e isso é muito bom para os lojistas. Com essa competição, você pode escolher qual é a ideal para o que você precisa, e fazer suas vendas do seu jeito. O difícil, muitas vezes, é escolher.

Qual é a mais indicada para o que você precisa? Como saber se você está fazendo um ótimo negócio? Bom, você sabe que o Amplia Vendas é uma plataforma de e-commerce também, certo? Quando nós fomos criá-la, com uma estratégia de negócio por trás, identificamos alguns pontos básicos que toda plataforma de e-commerce deveria oferecer.

Foi esse estudo que trouxe o Amplia Vendas à vida com as funcionalidades que ele tem hoje. E pra te ajudar a fazer a escolha certa, vou compartilhar com você tudo o que uma plataforma de e-commerce simplesmente precisa ter. Vamos lá?

1 – Uma plataforma de e-commerce precisa vender em marketplaces

Simples assim. Hoje em dia, a maioria das plataformas de e-commerces oferece esse serviço, mas não são todas.

A questão é que a venda em marketplaces é fundamental nesse tipo de serviço. Quem está começando agora nas vendas tem necessidades básicas, sendo que a mais básica delas é vender, e vender logo.

Não quero te dar um banho de água fria, mas a loja virtual em uma plataforma de e-commerce não nasce vendendo. É um trabalho gradual atingir um nível de faturamento alto. Vendendo nos marketplaces, você consegue vender muito mais rápido, e já começa faturando.

Então, anote aí: uma plataforma de e-commerces precisa vir com marketplaces já integrado.

Desenho vetorizado de pessoa com carrinho de compras em cima de um tablet. Ao fundo, uma loja virtual.

2 – Back-end que permite integrações

O back-end da sua plataforma é o que vai “por trás” dela. É a maneira com que o seu e-commerce foi construído, a “planta” da construção. É basicamente a infraestrutura por trás das vendas. E ele precisa de três coisas:

  • Oferecer as integrações necessárias com as APIs externas (Correios, provedoras de pagamento e outras empresas de logística);

  • Simplificar esse processo de integração;

  • Ser fácil o suficiente para que você mesmo consiga alterar configurações avançadas por meio de uma interface amigável e simples.

São esses três pontos que definem um bom back-end na plataforma de e-commerce. Essas são necessidades que vão surgir com toda certeza, e sua loja precisa estar preparada para elas.

Imagine ter que programar um fluxo de check-out “na mão”? É muito complicado, você precisa de um programador trabalhando com você e, depois de tudo pronto, é difícil mudar. Ainda mais o fluxo de check-out, que é um dos mais importantes do seu e-commerce.

Um back-end simplificado já vai vir com uma configuração padrão nessa ferramenta, e fazer mudanças para inserir outras informações fica mais fácil. A simplicidade no back é uma das marcas de uma ótima plataforma de e-commerces.

Ilustração vetorizada de homem usando notebook e, ao seu lado, janelas ilustrando o conceito de programação.

3 – Mudanças no layout e estrutura

Outro ponto básico para qualquer plataforma de e-commerces.

Ter o controle da estrutura da sua loja online te permite principalmente independência ao vender. Precisa começar uma campanha? Você mesmo pode fazer todas as alterações na estrutura do site, sem precisar de ninguém cuidando dele.

Mudar o layout e a estrutura é, no fim das contas, uma maneira de economizar com uma plataforma de e-commerces. Você pode ter o controle, sem precisar de alguém contratado especificamente para “mexer no site”.

Veja o que uma plataforma de e-commerces deve oferecer:

  • Adicionar banners de promoção a hora que você quiser;

  • Alterar categorias quando desejar;

  • Adicionar novos produtos em categorias com poucos cliques;

  • Importar planilhas com SKUs em massa.

Esse é o mínimo, não aceite menos. Imagine ter que colocar produtos um a um e não ter a liberdade de criar uma categoria quando você precisar? Simplesmente não funciona.

Desenho vetorizado de pessoa fazendo customização em um site.

4 – Infraestrutura que não dá problema

A Black Friday desse ano provavelmente vai ser bem movimentada, especialmente se ainda mantivermos restrições no comércio em novembro. E sabe o que pode acontecer até nos maiores e-commerces? Tráfego demais, a ponto de tirar o site do ar.

E isso acontece por uma falha na infraestrutura e ocorre todo ano. Lá em 2018, foi feita uma pesquisa mostrando o quanto de prejuízo os sites que ficam fora do ar têm durante a data. A constatação é assombrosa: em apenas 4 horas, os sites analisados tiveram prejuízo de R$ 3 milhões.

Se o servidor não aguenta muitas visitas, é porque a infraestrutura que você investiu não é a mais recomendada para as suas necessidades. É preciso mudar.

Desenho vetorizado de pessoa sentada em mesa com computador conectado a servidores.

5 – Diferentes planos para contratação

Aí é onde entra a sua necessidade. Os planos de contratação de uma plataforma de e-commerce é que vão definir se ela é viável ou não pra você.

Pense em uma plataforma cara, que te dá todas as vantagens que você imaginar, mas você não vai precisar de metade delas. Não adianta.

É por isso que o Amplia Vendas foi construído com várias opções de planos. Você pode escolher desde a mais básica, para uma loja virtual simples, até as mais avançadas, onde você consegue vender com estoque zero usando dropshipping e o crossdocking.

Uma plataforma de e-commerces inteligente é aquela que entende as suas necessidades. E é isso o que o Amplia Vendas quer te oferecer. Veja os nossos planos e encontre o que mais combina com o seu momento nos negócios. Tenho certeza que você não vai se decepcionar.

E com isso já vou ficando por aqui. Essa lista é tudo o que você precisa buscar em plataformas de e-commerces, e não deveria aceitar nada menos do que o que está aí, combinado?

Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários que eu te respondo. Ah, e não deixe de acessar o blog do Amplia e acompanhar nosso conteúdo por lá, certo?

Um forte abraço e até a próxima.