Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Plataforma de e-commerce ou loja virtual própria?

Existem muitas dúvidas ao contratar uma plataforma de e-commerce. A maioria delas está relacionada se vale a pena investir em um e-commerce pronto, com tudo já configurado, ou se o melhor é investir na criação “do zero” de uma loja virtual.

Muita gente acaba se perguntando se é melhor investir em plataforma de e-commerce ou loja virtual própria. Bom, na verdade, todos os e-commerces são criados à partir de uma plataforma. A diferença é que existem dois modelos: um que você constrói do zero, como disse, e outra onde já está tudo pronto.

Pensando nisso, não existe “melhor ou pior”. Na verdade, existem necessidades específicas para o seu negócio. Muitas vezes pode ser bom já começar vendendo em uma plataforma de e-commerce que oferece a loja virtual já pré-pronta. Em outros casos, pode ser melhor fazer tudo do zero.

“Mas qual é a melhor solução pra mim?”, você deve estar se perguntando. No texto de hoje vou fazer um comparativo dessas duas formas de vender online. Vamos começar?

Pessoa usando computador e telefone em cafeteria.

Qual a diferença entre uma plataforma de e-commerce “alugada” e uma loja própria?

Primeiro, vamos definir o que nós realmente estamos falando aqui nesse texto.

Existem duas maneiras de criar uma loja virtual hoje em dia. O que chamamos de plataforma de e-commerce aqui são os e-commerces “alugados”, ou seja, aqueles que são oferecidos como SAAS – software as a service.

Nesse contexto, podemos citar o próprio Amplia Vendas como uma plataforma de e-commerce SAAS – você paga uma mensalidade para ter sua loja virtual já pronta, é só começar a vender.

E quando falamos “loja própria”, estamos nos referindo aos e-commerces montados a partir de uma plataforma open source – de código aberto. Essas são as lojas online criadas do zero, em que você precisa montá-la e não há cobrança de mensalidade. Na verdade, a cobrança aqui é feita pelo trabalho de criar o e-commerce.

Então essa é a maior diferença. Vamos esquematizar aqui para podermos começar sem confusão?

  • Plataformas de e-commerce: modelo SAAS de e-commerce já pré-pronto, em que você faz customizações de acordo com o que a ferramenta permite, cadastra seus produtos e faz as integrações suportadas pela plataforma.

  • Loja virtual própria: e-commerce construído a partir de uma plataforma open source, criado do zero com a ajuda de uma desenvolvedora ou programador dedicado.

Plataforma de e-commerce ou loja virtual própria, qual é o mais barato?

Bom, teoricamente os dois podem ser tão baratos ou caros, depende do profissional que vai construir o e-commerce e das funcionalidades que a plataforma oferece.

Mas tirando isso, ainda é complicado dizer que um é mais barato que o outro. Na verdade, a diferença está na forma de pagamento.

Uma loja própria, criada “do zero”, normalmente tem um preço fixo. Você conversa com uma desenvolvedora de e-commerces, passa seu briefing e recebe um orçamento que engloba as suas necessidades de customização e as funcionalidades que você precisa. Esse, porém, é o valor inicial para criar o e-commerce. Quando ele for criado e passar a ser seu, os gastos não acabam por aí.

Depois surgem outros, como a hospedagem e as atualizações naturais que todo site precisa – toda vez que você tem que fazer alguma alteração no código ou uma customização diferente, por exemplo. Basicamente, montar uma loja virtual própria é caro.

Já uma plataforma de e-commerces é diferente: você paga por mês, mas não há outros tipos de gastos como é o caso da loja própria. A plataforma de e-commerces te entrega uma loja já pronta, um painel de controle pronto e integrações configuradas, inclusive com os marketplaces, como é o caso do Amplia Vendas.

O preço do aluguel da ferramenta é justificado exatamente por isso. Não há necessidade de configurar nada muito complexo, e o que for preciso fazer você mesmo consegue.

Homem colocando moedas em pote e usando calculadora.

Na questão de qual é a mais cara entre plataforma de e-commerce e loja virtual própria, com certeza é a loja própria. Os valores variam muito dependendo da complexidade, mas não espere gastar menos de R$ 10.000 para construir seu e-commerce, e não pense que você vai gastar só isso e pronto.

As plataformas de e-commerces oferecem um preço bem mais em conta, além da possibilidade de pagar por mês, conforme as vendas vão vindo. A loja virtual própria, hoje em dia, é mais usada por quem tem necessidades técnicas bem específicas.

Qual dá mais suporte técnico para o e-commerce?

Vamos só diferenciar o que é o suporte técnico primeiro. Ele pode se apresentar de duas maneiras: necessidades de uso do dia a dia, em que você aciona o suporte e eles te ajudam, e a necessidade do seu e-commerce de realizar algumas funções tecnicamente.

Suponha que você tenha uma loja física e vai migrar para o e-commerce. Para isso, você precisa fazer uma integração entre o seu sistema de gestão de estoque – um ERP comum – e a sua plataforma de e-commerce. Se a plataforma não autorizar integrações, não é possível fazer. Mas se ambas as ferramentas permitirem e só não existir essa integração nesse momento, é possível desenvolver por um custo adicionado ao que você paga por mês.

Algo similar acontece com a loja virtual própria, mas você acaba gastando mais. Se a integração não existir anteriormente, não existe nada que impeça que ela seja criada, desde que você pague por isso. E o preço pode ser maior do que o das plataformas de e-commerce.

Para suporte técnico do dia a dia quando, por exemplo, você precisa falar com alguém para resolver algum problema no seu site, quem leva vantagem óbvia são as plataformas de e-commerce. O suporte é imediato – é só chamar quem lida com a sua conta e pronto. Às vezes o atendimento é até automatizado.

Já com e-commerce próprio, às vezes, você vai precisar de um contrato separado com a sua desenvolvedora para prestar esse suporte. E se ela não oferecer esse serviço, você precisa de um programador na sua equipe.

Mulher em pé usando computador em uma mesa. Ao lado, uma cacto em um vaso marrom.

Qual oferece uma customização maior?

Esse é o ponto mais claro na comparação entre plataforma de e-commerce e loja virtual própria. A customização mais aprofundada tanto na aparência do seu site quanto nos aspectos mais técnicos – chamado de back end – é de longe melhor na loja própria.

As plataformas de e-commerce precisam se limitar em alguns quesitos para conseguirem oferecer o preço que as tornam mais atrativas. A customização do site, por ser naturalmente mais abstrata e muito difícil de automatizar, acaba sendo removida das funcionalidades que as plataformas oferecem.

Só que isso não significa que as plataformas de e-commerce não vão oferecer nenhuma customização. O que acontece é que com a loja própria você pode alterar tudo o que quiser. Com uma plataforma de e-commerces você pode alterar o que a ferramenta permitir.

Mulher usando celular e computador com gráficos sob a imagem.

Qual tem mais visibilidade na internet?

Aqui as duas empatam. A plataforma de e-commerces vai ter a mesma visibilidade na internet que uma loja própria, desde que o seu sistema seja bom e a construção do site seja equivalente.

Mas o que isso quer dizer? Bom, o Google vai colocar seu site na primeira página olhando apenas para o código. E ele pode ser bom ou ruim tanto na plataforma quanto na loja própria. Por isso os dois modelos são iguais em relação a vendas.

A questão é que a loja virtual própria pode ser alterada caso você perceba problemas no código que estão a impedindo de aparecer nos mecanismos de busca, como o Google. Você faz uma análise de SEO – otimização para mecanismos de busca – e conserta o que estiver errado.

Em uma plataforma de e-commerces isso pode até acontecer, mas não está na sua responsabilidade. Você precisa falar com a empresa responsável pelo serviço e fazer um pedido, que pode ser atendido ou não.

Você deve procurar, inicialmente, por erros mais graves, como:

  • Sites que demoram demais a abrir;
  • Problemas na configuração de Headers do site;
  • Sites com http:// ao invés de https://;
  • URLs muito longas e cheias de problemas;
  • Site não responsivo (preparado para smartphones);

E muito mais. Veja esse conteúdo da Camila Porto para saber mais sobre o tema.

Uma mão arrumando a palavra SEO letra por letra em superfície azul.

É muito difícil dizer qual é a melhor ou qual vale mais a pena – plataforma de e-commerce ou loja virtual própria. Se essa é sua dúvida, te dou um último conselho: pense em você e nas suas necessidades hoje.

Tentar escolher pela “melhor” não vai funcionar. A escolha é muito subjetiva e está relacionada com a sua realidade. Se você não tem conhecimento técnico em sites, uma plataforma é melhor. Se você tem e quer mexer em tudo, um e-commerce próprio é melhor.

Então tudo depende da sua realidade. É um trabalho de pesquisa para entender quem oferece o que você precisa. E gostaria de deixar aqui uma sugestão: o Amplia Vendas. Nós somos uma plataforma de e-commerce e oferecemos 5 planos diferentes para você escolher qual se encaixa mais na sua realidade. Clique no link para saber mais.

Obrigado e um forte abraço. A gente se vê no próximo texto.