Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Migrar da loja física para o e-commerce: como se preparar?

Então você está pensando em migrar da loja física para o e-commerce? Essa é uma ótima ideia, ainda mais hoje em dia – o e-commerce vem crescendo a ritmo recorde e não dá sinais de que vai parar tão cedo. Só que pra você, lojista, isso pode ser tanto bom quanto ruim.

Pensa comigo, o e-commerce crescendo apresenta uma oportunidade e ele só cresce porque mais pessoas estão comprando. Ao mesmo tempo, também vem um desafio: se mais gente está comprando, mais lojistas estão vendendo. E é aí que a competição fica acirrada.

Quem se sobressai no cenário de e-commerces hoje não é quem tem o melhor preço, não é quem tem o melhor prazo e muito menos quem tem a maior quantidade de produtos. É quem se preparou para vender e está organizado para crescer no seu próprio ritmo.

Essa é a chave para migrar da loja física para o e-commerce com sucesso: preparação e organização. E hoje eu vou te mostrar como destrancar seu potencial. Vamos?

Computador aberto em cima de mesa mostrando imagens de e-commerce, ao lado xícara de café e à frente livro.

Passo 1: plano de negócios

Não é porque você já tem uma loja física que seu e-commerce pode se aproveitar do mesmo plano de negócios quando for migrar da loja física para o e-commerce. Na verdade, é muito pelo contrário.

É necessário fazer todo o processo de novo para garantir a viabilidade do seu novo empreendimento. Você precisa refletir: o que um plano de negócios procura identificar? Nível de concorrência, produtos vendidos por outras lojas da região, o tráfego de pessoas na região, o ponto de break-even, e etc.

Todas essas informações serão completamente diferentes no e-commerce. Às vezes, até a viabilidade do que você está querendo vender é colocada em cheque: seu preço pode ser muito alto para o ambiente online, por exemplo.

Por isso, o primeiro passo é: faça um plano de negócios. Veja esse post que eu fiz aqui no blog mostrando o Top 5 de vendas no e-commerce desde 2010 e comece a se inspirar. Depois, você precisa analisar:

  • Movimentação da concorrência: muitas lojas? Poucas? Muitas vendas? Muita gente interessada?

  • Preço da concorrência: vou conseguir manter o mesmo ou vou vender mais barato? O quanto eu preciso vender nesse preço para atingir o break-even?

  • Quem são os clientes: com que frequência eles compram? Como costumam gastar? Compram só uma vez ou com frequência?

  • Canais de venda: vender só na loja própria ou marketplaces? Quanto custa montar um e-commerce? Tenho os documentos em ordem para vender nos marketplaces?

  • Organização interna: consigo lidar com a demanda extra? Preciso de mais funcionários? Preciso contratar transportadora?

Tudo isso (e mais um pouco) precisa estar bem detalhado no seu plano de negócios para migrar da loja física para o e-commerce. Sem esse planejamento inicial, você começa muito no escuro. Pode até dar certo, mas você vai confiar na sorte?

 Pessoa fazendo plano de negócios com desenhos em folhas sobre mesa. Celular sobre papéis, computador à frente.

Mais perguntas para o seu plano de negócios

Quero te ajudar ainda mais a criar o seu plano de negócios voltado para migrar da loja física para o e-commerce, já que muito do que você vai encontrar na internet não tem nada de muito prático.

Com 5 ou 6 pontos dá pra falar quase tudo o que você precisa fazer ao criar seu plano de negócios, mas de uma forma muito genérica. Vamos elaborar um pouco mais, com mais algumas perguntas que você precisa fazer?

  • Produto: meu produto tem mercado online? Ele é fácil de enviar? Eu posso vender online (remédios, por exemplo, podem precisar de receita)? E mesmo vendendo, meu preço não vai inviabilizar o negócio por ser muito alto? O custo do frete e a burocracia vão me permitir vender para outros estados? O tempo de entrega é alto demais?

  • Seus clientes: o que seu cliente gosta de saber sobre o produto? Quais são os hábitos quando eles visitam uma loja? Precisam do apoio de um vendedor constantemente? Qual é o volume de trocas e devoluções que esses clientes fazem? Que tipo de reclamações fazem na loja física?

  • Concorrência: em quais marketplaces estão meus concorrentes? Eles têm loja física também? Eles migraram da loja física para o e-commerce? Vendem em um site próprio? Qual é a média de preços dos meus concorrentes para o meu produto estrela? Quais as campanhas promocionais que meus concorrentes fizeram no último ano? Eles patrocinam anúncios nas mídias sociais? Eles pagam anúncios no Google Ads? Eles cobram frete? Quanto?

Espero que essas perguntas mais aprofundadas tenham te ajudado. Se você está no processo de migrar da loja física para o e-commerce, precisa de material prático e aprofundado.

Recentemente eu fiz um webinar junto com a Dinha Mendes, da Central Contábil, falando justamente sobre esse processo de migração. A primeira parte é inteira sobre plano de negócios. Te recomendo muito assistir, é curto mas aprofunda ainda mais no que estamos falando. Veja no link aqui.

Passo 2: Inventário de estoque

Plano de negócios feito, tudo certo pra começar? Ótimo, você já está com meio caminho andado. Agora você precisa entender o poder do seu estoque.

Como você organiza seu estoque? Tem um ERP? É por meio de uma planilha? Se você ainda usa métodos muito simples, é hora de integrá-los de uma forma mais robusta para conseguir migrar da loja física para o e-commerce.

Imagine não conseguir controlar o estoque da loja física e, de repente, ter que lidar com outro estoque? Agora do e-commerce, que acaba mais rápido e ainda por cima nem “existe” de fato em uma estrutura física?

Talvez você nem precise de um acompanhamento tão extenso, se você conhece seu estoque praticamente de memória. Mas no e-commerce é bem diferente, ele acaba e você nem vê. E é ainda mais complicado no caso de múltiplos marketplaces conectados.

Então veja o que você precisa fazer com o estoque ao migrar da loja física para o e-commerce:

  • Contagem: tire um dia inteiro (muita gente faz a noite para não atrapalhar as vendas) para contar todo o seu estoque. Conte tudo o que está no depósito e tudo o que está em exposição para vendas.

  • Organização: se você não tem uma planilha ou um sistema integrado (ERP), invista em algum. Essa é a melhor maneira de controlar vendas de múltiplos canais ao mesmo tempo.

  • Separação: estoque do site é estoque do site, estoque da loja física é da loja física. Se você tiver um ERP, ele deve contar cada venda no site automaticamente e dar baixa no estoque específico do e-commerce. Se você tiver uma planilha, separe “áreas” do seu depósito só para o estoque do e-commerce e, ao final de cada dia, tire da planilha as unidades vendidas no site.
Estoque bagunçado com várias caixas e prateleiras, livros e calendário

Passo 3: escolha o investimento certo ao migrar da loja física para o e-commerce

Na hora de investir em um e-commerce, você precisa estar 100% seguro de estar fazendo a escolha certa para o seu investimento.

Vou clarificar: existem duas formas de migrar da loja física para o e-commerce, o modo fácil e o modo difícil. O modo fácil é por meio de plataformas de e-commerce que facilitam e muito a sua vida, já que a configuração da loja é muito mais fácil e rápida, e os planos são mais amigáveis financeiramente.

O modo difícil é com um e-commerce próprio, em que você é o responsável e o “dono” do código gerado em cima de um site criado em uma plataforma open-source. Basicamente, aqui você precisa programar o site inteiro. Isso é bem difícil, gasta tempo (no mínimo um mês, no máximo vários meses até dar tudo certo) e o investimento inicial é alto – mesmo que você nunca mais pague por nada, nem parcelas mensais como as plataformas têm.

Como escolher a plataforma certa ao migrar da loja física para o e-commerce?

Quem está no processo de migrar da loja física para o e-commerce e precisa de vendas rápidas vai se beneficiar mais da plataforma de e-commerces ao invés de um e-commerce próprio.

Por que eu te digo isso? Primeiro, porque a construção da loja online nesse método é muito mais rápida. Em dois dias, no máximo, já está tudo pronto e cadastrado. Com isso, você tem muito mais agilidade e já começa vendendo nas primeiras semanas.

Segundo, porque uma loja online a partir de plataformas já se integram com marketplaces com um sistema próprio e que foi construído pensando nisso. No e-commerce próprio, você teria que fazer configurações específicas para integrar os dois estoques e as informações de faturamento, o que é bem complicado e requer um programador.

E terceiro, porque é difícil desembolsar R$ 15 mil reais do nada para investir em um site que pode demorar para se pagar. Com as plataformas você vai pagando por mês e migrar da loja física para o e-commerce se torna um pouco menos trabalhoso.

Rascunho colorido de verde, roxo e azul simbolizando telas de um site.

Passo 4: trabalhe a divulgação para vender muito

Já fez tudo isso? Já abriu a loja? Provavelmente ainda não, já que você ainda está lendo esse texto, não é? Mas vamos fingir que deu certo migrar da loja física para o e-commerce e seu site já está no ar. E agora pra vender?

É aí que entra o marketing digital. Se você acha que isso não ajuda, te convido a pensar no que eu estava te falando lá em cima sobre a competição.

O cenário de e-commerces hoje está muito cheio. Muitas pessoas estão fazendo o mesmo movimento que você, buscando migrar da loja física para o e-commerce. Como se destacar no meio de tanta competição?

Com o marketing digital, puro e simplesmente. Não existe outra maneira de já começar vendendo. É por isso que as melhores práticas de marketing e publicidade já devem estar contidas lá no seu plano de negócios para que assim que você lançar o e-commerce, elas já estão prontas para começar a funcionar.

Mas isso é assunto pra outro texto. Esse já está grande demais e eu teria que escrever o dobro só pra falar sobre estratégias de marketing digital aqui. E por sorte, temos um post de um especialista sobre o assunto aqui no blog. Vem dar uma olhada e saber mais.

E aí, preparado para migrar da loja física para o e-commerce? Se precisar de mais ajuda, é só deixar um comentário. E não deixe de ver tudo o que nós temos para te contar lá no blog do Amplia Vendas. Até a próxima!