Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Review dos melhores marketplaces: qual é o melhor pra vender hoje?

Quais são os melhores marketplaces? Só tem um jeito de você descobrir isso: fazendo uma boa pesquisa buscando as vantagens que cada um oferece. Aliás, precisa de um passo anterior: o que você considera como melhor?

O melhor marketplace é aquele que tem mais visitas ou o que é menos burocrático para se cadastrar? É o que cobra uma taxa menor ou o que te repassa o dinheiro das vendas a hora que você quiser?

Viu só? A discussão é um pouco mais profunda do que simplesmente falar “tal, tal e tal são os melhores marketplaces”. Sem falar que, às vezes, é complicado ter tempo pra fazer essa pesquisa aprofundada, não é? Eu entendo. Mas não se preocupe, eu faço pra você. Vamos começar a análise?

Em fundo branco, troféu dourado em miniatura sobre uma base preta.

O que levar em conta ao escolher os melhores marketplaces?

Não existe uma “resposta certa” para essa pergunta além do que realmente importa para a sua realidade do momento.

Se você quer vender em marketplaces mas não tem os documentos necessários, os melhores serão os que têm menos burocracia. Mas se não precisa se preocupar com isso e quer alta exposição para os seus produtos, o melhor pra você é aquele que mais conquista usuários.

Então nosso benchmarking vai passar por 5 pontos diferentes, pensando nos maiores marketplaces da atualidade. Vai ser assim:

  • Analisei: valor das comissões, retiradas de pagamentos, evolução de visitas, facilidade no cadastro e a popularidade entre lojistas.

  • Nos seguintes marketplaces: B2W, Magalu, Amazon, Mercado Livre e Via Varejo.

Tudo preparado? Então vamos começar!

1 – Valor das comissões nos marketplaces

Esse é o primeiro ponto para analisar os melhores marketplaces: o quanto eles cobram por vendas e por mês (se for o caso).

Vamos das taxas mais baixas para as mais altas: a B2W e o Mercado Livre têm as menores do mercado atualmente. O máximo que a B2W vai cobrar é 16%, e o Mercado Livre também.

As taxas do Mercado Livre são um pouco diferentes – o plano básico cobra apenas 11% de comissão, mas não permite parcelamento sem acréscimo. E essas comissões têm um acréscimo de R$ 5,00 caso seu produto tenha valor inferior à R$ 120,00.

As outras lojas têm taxas de acordo com o segmento que você vai vender, e aí é melhor acompanhar pelo próprio site deles, pois as categorias são muitas. Mas Magalu e Amazon podem chegar aos 20% de comissão dependendo da categoria. E a Via Varejo é a mesma coisa, mas com uma variação mais próxima dos 16%.

Em fundo branco, um cofre em formato de porquinho rosa.

2 – Retiradas de pagamentos

Muita gente acha que os melhores marketplaces são os que te dão a oportunidade de sacar seu dinheiro na hora que você quiser. Se esse for o seu caso, o Mercado Livre é o mais indicado no momento.

Os outros marketplaces permitem uma retirada quinzenal ou mensal, de acordo com esse esquema aqui:

  • B2W: retiradas quinzenais, todo dia 1 ou dia 15;

  • Via Varejo: retiradas todo dia 10 e 20 do mês;

  • Magalu: você pode retirar tudo mensalmente ou a cada sexta-feira;

  • Amazon: retiradas quinzenais.

Só tome muito cuidado e analise bem os sites dos melhores marketplaces para entender como funcionam as retiradas de pagamentos. Normalmente, cada forma de pagamento tem um prazo diferente de constar como saldo positivo do vendedor. Aqui estamos falando disso: do quanto você tem disponível para saque.

Imagine que num mês você vendeu R$ 10.000 reais no crédito e R$ 5.000 no boleto. O saldo do boleto vai cair mais rápido no seu saldo por tramitações bancárias. Se você esperar, eventualmente vai ter R$ 15.000 disponível em saldo para retirada. Esse é o valor que pode ser retirado a qualquer momento no Mercado Livre, por exemplo.

3 – Os melhores marketplaces por visitas nos sites

Vou começar um pouco diferente aqui neste item: as visitas nos melhores marketplaces não são tão importantes quanto a evolução de visitas que eles têm.

O motivo é simples. Esses marketplaces têm milhões e milhões de visitas no mês. O que realmente mostra sua popularidade com o público é o quanto essas visitas evoluem ao longo do tempo.

Veja esse esquema para entender melhor. São os números de evolução de visitas durante os últimos meses, relacionados com a quarentena:

  • Amazon – 56,5%

  • Magalu – 50,5%

  • Mercado Livre – 48%

  • Extra – 44,7%

  • Americanas – 37,8%

  • Submarino – 34,4%

Essas são as porcentagens de crescimento de visitas nos últimos tempos. E é o melhor recorte possível de se fazer, pois o momento é de uma grande evolução no e-commerce. Por isso, fica mais fácil entender quais são os e-commerces mais populares entre os compradores.

Claramente, Amazon e Magalu lideram, com Mercado Livre logo atrás seguido por Via Varejo e B2W. A partir desses dados, já podemos entender quem serão os melhores marketplaces no pós-pandemia segundo os próprios consumidores.

Três pessoas sentadas em sofá apontando para tela de computador.

4 – Facilidade no cadastro

Esse é um ponto muito importante para lojistas. E é o exemplo que usei lá no início do texto para ilustrar o que é ser o melhor marketplace.

Se você é MEI e não tem muitos registros e documentos, é melhor optar por marketplaces mais desburocratizados, como a Amazon. Mas se tem tudo em ordem, pode aproveitar melhor o mundo dos marketplaces.

Veja a lista do que esses 5 melhores marketplaces pedem para o vendedor inicial:

Documentos para vender na B2W:

  • CNPJ sem restrições;

  • CNAE no setor Comércio Varejista;

  • Capital Social superior a R$ 1 mil;

  • Conta corrente com CNPJ.

Documentos para vender na Via Varejo:

  • CNPJ sem restrições (pedem certidão);

  • Contrato Social;

  • Requerimento de empresário ou certificado ME;

  • Número no Sintegra;

  • Documento de identificação (RG ou CNH);

  • Comprovante bancário com: CNPJ, Razão Social, número da agência e da conta.

Documentos para vender na Magalu:

  • CNPJ sem restrições;

  • CNAE no setor Comércio Varejista;

  • Consulta Pública ao Cadastro do Estado do Parceiro (SINTEGRA – ICMS);

  • Certidão Negativa de Débitos Federal;

  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT);

  • Certidão Negativa de Débitos Estadual;

  • Contrato/Estatuto Social atualizado;

  • Certidão simplificada do SINREM.

Documentos para vender na Amazon:

  • Só CNPJ ou CPF.

Documentos para vender no Mercado Livre:

  • Só precisa ter uma conta no Mercado Livre, com CNPJ ou CPF, e uma conta bancária.
Um homem de camisa social assinando papéis em cima de uma mesa. Ele usa uma caneta preta e dourada.

5 – Popularidade entre os lojistas

Esse também é um medidor muito importante para entender quais são os melhores marketplaces. É bom olhar para métricas anuais e entender o quanto um determinado canal se manteve popular ou perdeu popularidade.

Uma pesquisa da Olist, e divulgada pela Rock Content, mediu quantos dos lojistas perguntados vendiam nesses marketplaces entre 2018 e 2019. O resultado é o seguinte:

  • Mercado Livre – 90% em 2018, 80% em 2019;

  • B2W – Estacionado em 72%;

  • Amazon – 28,5% em 2018, 46% em 2019;

  • Magalu – 21% em 2018, 34% em 2019;

  • Via Varejo – 33,3% em 2018, 28% em 2019;

As maiores evoluções ocorreram claramente na Amazon e na Magalu, que tiveram um crescimento de lojistas bem grande. O Mercado Livre teve queda de 10%, junto com a Via varejo, enquanto a B2W se manteve como a segunda favorita dos entrevistados.

E o que isso nos diz sobre os melhores marketplaces? Bastante: se lojistas estão saindo de plataformas, provavelmente houve algum motivo. Isso acende um sinal de alerta para que você busque saber o que mudou na plataforma entre 2018 e 2019.

E se um marketplace ganhou bastante popularidade, isso pode significar muitas coisas: mudanças, marketing, mais exposição, etc.

De qualquer forma, é sempre bom saber onde tem muita gente vendendo – isso significa que o marketplace tem mais clientes. Quanto mais alto é essa porcentagem, melhor pra você.

E aí, consegui te ajudar a escolher os melhores marketplaces para vender? Espero que sim. Se precisar de alguma ajuda, fale com a gente aí nos comentários. Ah, e não deixe de ver o que estamos postando lá no blog também.

Um abraço e até a próxima!