Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Produtos do Paraguai para revender: compensa?

A meta de todo varejista é vender muito e aumentar o lucro. Existem várias formas de fazer isso, mas quando se fala de fornecedores mais baratos, muitos ficam tentados em comprar produtos do Paraguai para revender aqui.

E muitos fazem isso ilegalmente. Ultrapassam o limite de compras (o que é, na verdade, contrabando) ou adquirem produtos sem nota fiscal, o que além de perigoso é crime e nada viável. Agora, e quem compra legalmente? Tem lucro? É disso que eu vou te mostrar no texto de hoje.

Vamos?

Pessoas físicas comprando produtos no Paraguai

Bom, como o próprio nome já sugere, aqui as regras foram feitas pensando em quem vai comprar para o consumo próprio. Não é muito incomum ver casos onde pessoas com CNPJ tentam comprar produtos do Paraguai como pessoa física pra revender aqui no Brasil. O problema é que as normas de importação não facilitam muito essa estratégia:

  • Limite de até US$ 500 em mercadorias para trazer ao Brasil;
  • Caso ultrapasse esse limite, será cobrado 50% sobre o valor excedente;
  • Podem ser comprados no máximo 30 itens (10 acima de U$ 5 e 20 abaixo de U$ 5);
  • Podem ser comprados apenas 3 itens idênticos por pessoa.

Todas essas limitações ainda se somam aos custos da viagem – só de São Paulo à Foz do Iguaçu você vai gastar, em média, R$ 560 de gasolina e pedágios ou R$ 750 de avião apenas a passagem de ida. Ou seja, fazer essa viagem, para poder comprar tão pouco, não compensa tanto assim.

Pessoas em uma fila segurando sacola de compras.

Mas o fato é que a maioria das pessoas comprava ilegalmente mesmo, e fazia isso até pouco tempo. Mas agora, com a fiscalização mais rígida na fronteira, quem insiste corre o risco de perder toda a mercadoria ou ser altamente taxado pela alfândega. É melhor nem arriscar porque o barato pode sair bem caro.

#AmpliaAlerta: este texto foi escrito em agosto de 2020. Nesse momento as fronteiras entre Brasil e Paraguai estão fechadas devido à pandemia. Sugiro que você pesquise como está a situação na divisa antes de pegar a estrada em direção ao Paraguai.

Baixe o e-book grátis!

Pessoas jurídicas comprando produtos no Paraguai

E quanto a pessoa jurídicas? Bom, elas também podem obter produtos do Paraguai, mas não todas: apenas os MEIs e Micro Empresas. Se a sua empresa está registrada em outra categoria, é melhor já buscar outras alternativas.

Vamos considerar que a sua loja se enquadre em um desses dois segmentos. Nesse caso, você poderá fazer as suas compras apenas pela fronteira terrestre, mas terá que pagar impostos através do Regime de Tributação Integrada (RTU), sendo 25% de Impostos de Importação e mais 7% de ICMS.

Além disso, assim como acontece para pessoas físicas, existe um limite de compras: R$ 110.000,00 ao longo do ano. Sendo até R$ 18.000,00 no primeiro e segundo trimestre e R$ 37.000,00 nos outros dois.

Homem de camisa azul colocando várias caixas de produtos no porta malas de  seu carro.

Existem alguns produtos que são terminantemente proibidos. Você não pode comprar de forma alguma: bebidas, veículos, medicamentos e qualquer outro que não seja destinado ao consumidor final. No final das contas, mesmo você sendo MEI ou ME, é bom pensar bem antes de decidir atravessar a fronteira.

Independente de comprar produtos no Paraguai ou não. Será que vale a pena ter um e-commerce como MEI? Eu te respondo aqui.

Importar um contêiner completo do Paraguai

Outra prática que muitas importadoras fazem é trazer um contêiner inteiro de produtos do Paraguai para revender aqui no Brasil. A estratégia visa cortar impostos, aproveitando o acordo que temos entre os países do Mercosul (que nos isenta de impostos de importação). Mas no fim das contas, eu particularmente acho isso tudo é uma mera ilusão.

Não chega a ser ilegal – quanto a isso fique tranquilo. Mas é preciso refletir: no final das contas vai compensar para o seu negócio? Eu, particularmente, creio que não. Muito gasto e dor de cabeça e pouquíssimo retorno.

 Foto de um pátio com vários containers. Ao fundo,  um guindaste para movê-los.

Outra coisa é que esses produtos são importados direto da China. Ou seja, você pode até ficar livre de alguns tributos mas vai pagar frete duas vezes – da China para o Paraguai e do Paraguai para o Brasil. Com isso o preço vai sair o mesmo ou até mais caro do que importar direto da China ou de qualquer outro país.

E ainda tem outro detalhe: esse corte de impostos sobre a importação vale apenas para produtos do Paraguai fabricados ou montados lá, assim como em qualquer outro país do Mercosul. Você ainda terá que pagar impostos como o IPI, PIS e ICMS.

Comprar peças da China, montar no Paraguai e trazer para o Brasil vai dobrar o trabalho e inviabilizar todo o processo. Não compensa.

Então, quando vale a pena comprar produtos do Paraguai?

Em resumo, são raras as vezes em que realmente compensa comprar produtos do Paraguai para revender. Em qualquer modalidade você vai enfrentar alguns desses problemas que tratei ao longo desse texto.

Com certeza os preços lá são bem mais competitivos, mas a burocracia para trazer ao Brasil compromete toda a estratégia. Se optar pela opção de contêineres, você vai pesquisar bastante e pode ser que encontre produtos de ótima qualidade que são fabricados lá.

Faça as contas e reflita olhando para o seu orçamento e para os seus processos. Se você entender que é viável para o seu contexto, ótimo. Se não, opte por outras formas.

Uma outra maneira que pode compensar é comprar produtos do Paraguai que possuem uma tributação muito grande aqui no Brasil como eletrônicos, perfumes e tênis. Mas antes de fazer a viagem, faça os cálculos de quanto estará economizando comprando lá (respeitando o limite de compras) e confira se os custos serão cobertos na revenda.

Mas não fique desmotivado. Se comprar produtos do Paraguai não é uma boa alternativa para você economizar no seu e-commerce, existem outras maneiras. Venha entender melhor nesse texto que falo como economizar no e-commerce com estoque, embalagem e envio.

Monte seu site hoje com o Amplia