Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Pix boleto? O que é essa funcionalidade? Entenda o Pix Cobrança

O Pix Cobrança, carinhosamente apelidado de “Pix Boleto” está na área! O que – felizmente para nós que trabalhamos com as vendas – indica que o boleto bancário está cada vez mais ameaçado.

A verdade é que a primeira disputa do boleto bancário foi contra o cartão de crédito, onde ele sofreu um baque, mas ainda tinha do seu lado muita gente que contava com ele por não ter um cartão.

Ano passado veio o Pix, que permite transferências mais básicas, mas que não permitiam armazenar tantas informações. Nessa batalha quem saiu por cima foi o boleto.

Mas agora, com o Pix Cobrança, ou como eu gosto de chamar, “boleto 2.0”, parece que finalmente está na hora de levantar bandeira branca. Será mesmo o fim do boleto como conhecemos? É o que vamos entender juntos agora:

O que é o Pix Cobrança?

arte baseada em games, dividindo a tela ao meio com o símbolo de “Vs” no meio. De um lado há um Qr Code e do outro um código de barras.

O Pix tradicional você já conhece: assim que o seu cliente escolhe essa opção de pagamento, é gerado um QR Code ou linha clicável onde, a partir do aplicativo de banco dele é feito o pagamento. Fácil para você e também para quem está comprando.

Mas o que acontece se eu quiser gerar uma cobrança com data de vencimento? Antes, a única saída era mesmo o boleto bancário. Mas agora, com o Pix Cobrança, algumas mudanças bem sutis ao que você já é acostumado vão fazer toda a diferença no seu negócio:

  • Tempo: no boleto, seu cliente tem até a data de vencimento para pagar, e demora mais uns 3 dias úteis para o valor cair na sua conta. Depois de 6 dias sem o produto nem sair para entrega, já é de se esperar que o seu cliente esteja bem insatisfeito. Com o Pix Cobrança, assim que o pagamento for efetuado já será computado no seu sistema;

#DicaAmplia: sobre este comportamento, eu fiz uma análise bem pertinente “a revolução do tempo de entrega de e-commerces está começando”. Lá eu faço um parâmetro histórico, e também dou dicas para reduzir o tempo de entrega no seu e-commerce.

  • Previsibilidade: ainda nessa questão do tempo de compensação pelos bancos, já pensou se o seu cliente comprou o produto e você só vai descobrir que o pagamento não foi feito depois de 6 dias? Pior, se você tinha apenas um item em estoque, ele ficou “reservado” para uma venda em vão. Utilizando o Pix boleto esse tempo será cortado ao menos pela metade;

  • Segurança: assim que o escaneamento for feito, aparecerá todas as informações da sua loja, o que vai aumentar a sensação de segurança de que o dinheiro está indo para o lugar certo. Além disso, o Pix boleto tem as mesmas medidas de segurança impostas pelo Banco para o TED e DOC;

  • Personalização: é você quem cria as regras do Pix Cobrança! A data de vencimento, descontos, juros… tudo de acordo com o que você achar melhor. Se necessário, você pode inclusive revogar o pagamento antes do seu cliente realizá-lo.

  • Relação com fornecedores: nós dois sabemos como é difícil encontrar bons fornecedores que entregam os seus pedidos à tempo. Agora você vai poder marcar o vencimento para o dia combinado e ele receberá logo. Como é instantâneo, não vai ter que esperar dias até o pagamento cair na conta desse fornecedor para ele começar a preparar o envio. É tudo muito mais ágil.

Como vai funcionar o Pix boleto?

Antes de mais nada, preciso te esclarecer que o Qr Code gerado aqui não é o mesmo do Pix tradicional.

O Pix que temos hoje é estático – um mesmo código referente a um mesmo valor pode ser enviado para várias pessoas. Mas com o Pix Cobrança a sua plataforma irá gerar um QR Code dinâmico, personalizado para cada transação e que pode ser pago uma única vez.

Esclarecido isso, vamos ao passo a passo da utilização do Pix boleto:

  1. Você instala o API Pix no seu e-commerce através do seu subadquirente (PayPal, MercadoPago, PagSeguro…) para que ele se comunique com o sistema, gerando Qr Codes dinâmicos como forma de pagamento;
  2. Quando fizer uma compra e escolher este modo de pagamento, o seu cliente escaneia o código para pagar a compra, utilizando o aplicativo do banco, fintech ou internet banking;
  3. O Sistema do Pix se encarrega de enviar o valor da conta do seu cliente para a sua.

Muito fácil, não é?

FAQ do Pix Cobrança – as dúvidas que deve estar pensando

arte baseada em games, com fundo listrado em amarelo, um símbolo de interrogação e, ao seu lado, uma forma oval branca com o logotipo do Pix.

Quando nos é apresentado algo novo, é natural que surjam vários “e se’s” na nossa cabeça. Para que você não termine este texto sem nenhuma dessas questões mal resolvidas, eu criei aqui um espaço com as dúvidas sobre o Pix boleto que você deve estar se perguntando:

O Pix cobrança é pra todo mundo?

Sim. Você vai poder sair criando códigos Pix com data marcada também para sua conta pessoal, mas o aproveitamento maior é para mesmo para os negócios, justamente pela gestão das informações.

Ele será pago?

Essa parte é um tanto complexa, por isso vou te explicar em etapas: a regra é que não é cobrado nada para que pessoas físicas, MEI ou empresário individual utilize o Pix para uso cotidiano.

No entanto, se você utilizar o Pix boleto com finalidade comercial – o que é o caso -, poderá ser tarifado. Para determinar esse tipo de uso, são determinados dois critérios:

  • Quando você receber por QR Code Dinâmico (Pix Cobrança);
  • Gerar o recebimento de mais de 30 transações/mês por conta, tanto faz se estáticas ou dinâmicas. Será cobrado de você a partir da 31º transação.

O que o Banco Central cobra das instituições financeiras é uma taxa de R$0,01 a cada 10 transações. Agora, o valor que você vai pagar vai depender da tabela de preços do seu banco – muitos deles, a fim de trazer mais clientes nem estão cobrando.

De qualquer forma, mesmo que seja cobrado algo de você para utilizar o Pix cobrança, com certeza vai ser bem menos que o custo de um boleto, que gira entre R$1 e R$10 por emissão.

Quem não tem conta no banco, como faz?

A ideia do Pix cobrança, assim como de todo o ecossistema, é a simplificação dos pagamentos. Com ele, tudo o que é preciso para pagar um Pix boleto é um smartphone. Mesmo quem não tem um banco pode recorrer a uma fintech, como o Mercado Pago ou tantas outras carteiras digitais que há por aí.

Em entrevista ao TecMundo, Carlos Netto, um dos desenvolvedores do Pix, disse que acha pouco provável que as lotéricas façam esses pagamentos porque eles ficariam com dinheiro sem ganhar nada com isso. Eu não concordo muito com isso. Hoje, até as apostas de loteria são integradas com o Pix e eles estão totalmente inseridos no meio.

Sem contar que as Lotéricas são da Caixa, que é federal. Imagino que, no caso de baixa adesão, elas vão dar o suporte necessário para a população fazer a transição.

Agora, resta esperar os próximos capítulos.

#DicaAmplia: sobre Mercado Pago, é tão simples oferecer o PIX com eles que até em vendas simples, como as pelo instagram é possível. Veja como instalar o Pix Mercado Pago na sua loja.

Pode pagar depois de vencido?

Isso é você quem vai me dizer. Assim como nos boletos bancários, com o Pix boleto você é quem determina as regras. O pagamento depois de vencido com ou sem juros, o valor desses juros, multas por atraso e também descontos para pagamentos antecipados.

Eu não indico porque, supondo que o seu cliente pague daqui a 15 dias, pode ser que você nem tenha mais o produto em estoque e, se tiver, ele pode ter sofrido uma alteração de preços. Isso vai atrapalhar totalmente a sua organização.

Até quando precisa se adequar?

Aqui entramos em uma questão bem interessante: o Pix não é obrigatório, mas caso você opte por oferecê-lo aos seus clientes, a regulamentação do Banco Central diz que você deverá “proporcionar a experiência completa de pagamento”.

Essa experiência completa não diz necessariamente sobre o Pix Cobrança, mas da obrigatoriedade de possibilitar a leitura do pagamento em data futura – você pode também gerar um boleto estático na data futura combinada, com todos os encargos e abatimentos calculados corretamente.

Complicado, não é? Eu acho bem mais simples oferecer o Pix Cobrança mesmo. Neste caso, você tem até o lançamento do serviço, em 14 de maio, até o dia 30 de junho para se adequar antes que ele deva ser oferecido obrigatoriamente.

design em pop art de uma mulher utilizando variadas formas de pagamento - dinheiro, maquininha de cartão e cartão de crédito em celular

Agora entramos na questão: sabendo que, se você decidir oferecer o Pix como forma de pagamento no seu e-commerce, também deverá apresentar o Pix Cobrança, o melhor para o seu negócio será oferecer ou não o Pix no seu e-commerce?

A minha sugestão sempre será oferecer as mais diversas formas de pagamento. Isso porque cada cliente tem aquele onde tem mais afinidade ou benefícios: se ele tem uma conta no Pic Pay, vai escolher pagar por lá, se possui cartão de crédito da bandeira X, vai escolher ela por conta da milhagem…

Agora, pensando em um sistema que, em poucos meses, já ultrapassou a marca de 2015 milhões de chaves cadastradas, quantos acha que irão procurar procurar por ele ao comprar no seu e-commerce? Mais que isso, quantos poderão deixar de comprar de você caso não encontre o seu novo método de pagamento preferido?

Então, ainda não oferece o Pix como método de pagamento? Não perca mais tempo! Leia o meu texto sobre como aceitar o PIX no seu e-commerce.