Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Logística Amazon para lojistas do marketplace – o que sabemos até agora

Parece que o Brasil entrou de vez no radar da Amazon! Se até o início de 2019 ficávamos meio de escanteio, contando apenas os livros digitais e mais algumas categorias de produtos, hoje a gigante veio com tudo e traz agora o Amazon FBA – seu programa fulfillment e a menina dos olhos da logística Amazon.

Isso quer dizer que você vai poder vender na plataforma oferecendo o serviço Prime! Ou seja, entregar em prazo recorde e entrando no topo de preferência dos clientes do marketplace.

Nada mal, não é? Então vem comigo que vou te mostrar na prática como vai funcionar essa nova modalidade logística da Amazon.

Como já funciona a Amazon FBA lá fora?

Foto da fachada do centro de coleta e devoluções da Amazon na Filadélfia, cidade dos Estados Unidos.

É fato que a logística da Amazon é a melhor do mundo hoje, e sem dúvidas, o que estamos prestes a vivenciar agora é mais uma revolução – seremos os primeiros a usar Amazon FBA na América Latina.

Mas a verdade é que em outros países o Amazon FBA já existe há pelo menos 15 anos, então acho interessante mapear como ele funciona por lá para termos uma noção de todo o potencial que estamos prestes a conhecer.

Inclusive, antes mesmo de existir para o mercado brasieliro, você já podia utilizar o Amazon FBA para vender no exterior. Nesse caso, o procedimento é o mesmo para qualquer um que queira vender utilizando a logística Amazon:

1. Com uma conta de venda criada, você faz o cadastro para a modalidade FBA ou “Fulfillment By Amazon”. O link é esse aqui.

Atenção: como estou falando de como a Amazon FBA funciona lá fora, esse link serve apenas para vender no exterior.

2. Prepare os seus pedidos e envie para algum centro de distribuição da Amazon. Você informa qual o seu produto e eles já te mostram para onde enviar (eles possuem armazéns nos EUA, Canadá, Europa e Ásia – só nos EUA são mais de 100);

3. Então eles fazem o inventário dos seus produtos que estão com eles e a condição de cada um. Se nesse processo algum deles for danificado, você terá o reembolso;

4. Assim que o seu cliente faz o pedido é que a magia da Amazon FBA começa: eles fazem todas as transações, atendimento, preparo de envio e tracking por você.

5. Pronto! Se tiver alguma devolução eles já resolvem isso também e, estando tudo certo, a sua parte do lucro é enviada a cada duas semanas.

Claro, eles cobram uma taxa a mais por isso, mas nos EUA, ao menos metade dos pedidos são entregues assim, ou seja, para eles vale a pena.

Agora vou analisar todas as informações disponíveis para dar o meu veredito sobre essa viabilidade aqui no Brasil:

O que sabemos da Amazon FBA no Brasil até agora?

Boneco feito com as caixas de papelão da Amazon. Ele está com expressão de pensativo.

Agora que você já viu como a logística da Amazon funciona no mercado exterior, deu para ter uma ideia de como vai ser por aqui.

Basicamente, o método é o mesmo, mas é até injusto comparar a estrutura, investimento e estratégia que eles conseguiram nos EUA em mais de 25 anos com o que eles tem aqui em menos de 10. Além disso, temos algumas particularidades no Brasil que podem interferir no negócio.

#DicaAmplia: a história da Amazon e dos marketplaces estão tão ligadas que até se misturam. Então, para você entender como eles viraram esse girante das vendas digitais, veja o meu texto que mostra o passado e qual é o futuro do Marketplace.

A Amazon FBA já está valendo?

Está sim! Bom, ao menos em partes. Como eu disse aqui em cima, a estrutura da Amazon e mesmo fatores internos do país podem exigir algumas adaptações para o método aqui no Brasil.

Por enquanto, aqui no Brasil apenas negócios que ficam no estado de São Paulo e se enquadram no Simples Nacional (MEI, Micro e Pequenas Empresas) podem se cadastrar.

Atenção: Até a data de criação deste texto, a página de cadastro da Amazon FBA para vender no Brasil ainda não está disponível.

Segundo o próprio executivo da Amazon no Brasil, Rafael Ferreira, o início da Amazon FBA em São Paulo se deu pela legislação do estado, que agora permite que diferentes produtos sejam enviados na mesma caixa para o mesmo cliente. Isso quer dizer que você pode enviar 30 aparelhos celulares em uma caixa só e lá eles distribuem para cada cliente.

Além disso, temos as limitações de estrutura: é notório que, mesmo investindo pesado e contando hoje com oito centros de distribuição no país, esse número não é nem metade que o de outros marketplaces como o Magalu ou o Mercado Livre, por exemplo.

Na verdade, ouso dizer que todo investimento para o Mercado Livre Full feito nos últimos tempos pela companhia argentina se deu justamente para ser a “Amazon antes da Amazon” no Brasil. Entenda melhor essa discussão no texto Meli Air: a frota aérea do Mercado Livre que promete acelerar entregas no Brasil inteiro.

Posso integrar a Amazon FBA estando fora de São Paulo?

Pode sim. Não com todos os benefícios, mas pode. Para esses casos (e também aqueles que não operam como Simples Nacional) eles criaram o Amazon FBA Onside.

Um modelo que te permite vender como Prime, mas diferente do método “raíz”, aqui você armazena os produtos no seu próprio depósito e a logística Amazon resolve a entrega e o pós-venda para você.

Mas trabalhar com a Amazon FBA Onside também não está disponível para todo mundo: só quem mora nas regiões Sul e Sudeste, além da Bahia, Pernambuco e Distrito Federal podem participar por enquanto.

Quanto custa integrar a Logística Amazon?

Agora chegamos na parte que você mais estava esperando: quanto você vai ter que pagar pelo serviço.

Pois bem. A informação que temos até agora é que para integrar a Logística Amazon haverá uma taxa a mais, mas ainda não temos ao certo qual será esse valor.

Mas, para você ter uma noção, vou te mostrar os preços para vender no Amazon FBA Internacional:

Agora chegamos na parte que você mais estava esperando: quanto você vai ter que pagar pelo serviço.   Pois bem. A informação que temos até agora é que para integrar a Logística Amazon haverá uma taxa a mais, mas ainda não temos ao certo qual será esse valor.   Mas, para você ter uma noção, vou te mostrar os preços para vender no Amazon FBA Internacional:

A regra vai ser mais ou menos essa e o plano mais viável vai depender da sua demanda. Olha só:

Plano Individual: compensa quando você vende até 40 produtos por mês, porque você pagará apenas U$0,99 (pouco mais de R$5,00) por pedido, além da comissão, que varia de 11 a 15% do valor do pedido. Alguns custos de estocagem também podem ser aplicados.

Plano Profissional: é viável quando você vende mais de 40 produtos ao mês, porque o plano Individual acaba saindo mais caro que pagar U$39,90 fixos (por volta de R$200,00). Além disso, só com ele você consegue o “buybox”, que é como são chamados os anúncios em destaque.

Eu não sei ao certo se a precificação deles será apenas a conversão da moeda – provavelmente não, mas pensando nessa realidade, se você descontar os custos com embalagem, frete, aluguel de espaço para estoque e equipe de atendimento ao cliente, acho que, ao menos financeiramente, vale a pena.

Mas será? É o que vou discutir agora:

Então, a Logística Amazon para lojistas do Marketplace vai compensar?

Foto de um centro de distribuição tecnológico, com utilização de robôs para organização das caixas.

Então. Sei que é péssimo ler um texto inteiro para chegar a uma conclusão como essa, mas com o que tenho de informação até agora é que: depende.

Digo isso porque ainda não temos os preços exatos que eles vão cobrar aqui no Brasil e porque essa decisão envolve muito mais a sua visão do seu negócio do que minha opinião.

Alguns prós e contras que você deve levar em conta são:

A logística da Amazon é referência mundial: você pode comprovar isso vendo que, mesmo com uma estrutura bem menos robusta que a dos outros sellers do Brasil, eles conseguem entregar produtos em prazos incríveis;

Pode confiar o seu atendimento: Se você tem dúvidas sobre como eles vão se comunicar com os seus clientes por você, fique tranquilo. Eles estão bem à frente do Mercado Livre, por exemplo. É possível comprovar isso na página do Reclame Aqui de cada uma delas (aqui a da Amazon e a do Mercado Livre);

Integrar o Prime: seja pelas entregas grátis e confiança em produtos Prime, pelo streaming, livros ou música, a plataforma está bem popular no Brasil, então pode ter certeza que todos os assinantes vão procurar por produtos com esse selo;

Burocracia: como deu para perceber, até mesmo pelo espaço disponível para armazenagem, a empresa terá que “selecionar” quem entra ou não na Amazon FBA, então pode contar que eles serão bem chatinhos para a inscrição e avaliação nesse sentido;

Organização: você que tem um pequeno negócio, provavelmente faz a listagem dos seus produtos de maneira ainda artesanal. Para vender no Amazon FBA com certeza vai precisar de um ERP para organizar tudo;

Custos além do plano: como eu disse ali na parte de “quanto vai custar”, o valor referente à estocagem também deve ser levado em conta. Então, se você vende um produto muito grande, com baixo custo e/ou baixa rotatividade pode sair bem caro mantê-lo nesse esquema de logística da Amazon.

De modo geral, a minha sugestão é que se você ainda tem um pequeno negócio, sem um time para cuidar do atendimento e envio de pedidos, a Amazon FBA vai valer muito a pena quando você colocar todos esses custos na ponta do lápis.

Mas como eu já disse aqui, você ainda tem outras opções de marketplaces aqui no Brasil, inclusive com opções Fulfillment que podem também ser uma ótima opção para o seu negócio. Na verdade, você nem precisa ficar preso a uma só plataforma para expor os seus produtos.

Veja o meu review dos melhores marketplaces e descubra qual é o melhor para vender hoje!