Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Os maiores insights do Fórum E-commerce Brasil 2020

O Fórum E-commerce Brasil de 2020 aconteceu na semana passada em um formato diferente. Por conta da pandemia, essa edição foi não-presencial, mas sim online: transmitida para todo o mundo por vídeo.

Eu sei – estar lá é inigualável. No ano passado, a equipe do Amplia Vendas começou a desenvolver sua ideia durante as palestras e conversando com mentes parecidas com as nossas. Mas, ao mesmo tempo, ainda que distante, o conteúdo do Fórum E-commerce Brasil 2020 superou todas as minhas expectativas.

No cenário em que estamos, o momento pede por reflexão e discussões de onde vamos a partir daqui. Dos rumos que o e-commerce vai tomar. E foi pensando nisso que resolvi compartilhar com vocês esse texto com os maiores insights dessa edição extraordinária do Fórum E-commerce Brasil 2020.

Vem comigo?

Imagem de plateia do Fórum E-commerce Brasil de 2018.

O futuro do Brasil é “Figital”

Engraçado como os tempos mudam, não é? Antigamente, muita gente entusiasmada demais com o e-commerce acabava caindo na ideia de que o futuro ia ser completamente online, o varejo digital ia dominar tudo e as lojas físicas que se cuidassem.

Hoje, o momento é de reconciliação – ou como bem disse Felipe Mendes, General Manager Latam da GFK, é hora de pensar no “figital”.

Em sua palestra, Felipe destacou que o brasileiro ainda tem “muito receio com relação a entregas e problemas pós-compra no digital”. Ao mesmo tempo, esse receio parece estar diminuindo e se transformando em confiança: durante os movimentos erráticos de reabertura do comércio, o e-commerce não teve uma queda tão significante quanto sua ascensão nos primeiros meses de pandemia.

Pelo contrário: ele continua a crescer. Isso mostra que o mercado brasileiro prefere um modelo misto, físico + digital – ou figital. A GFK, inclusive, aponta que o crescimento de e-commerces com lojas físicas no Brasil é 3 vezes maior que a média mundial.

Mas não foi só o Felipe Mendes que trouxe essa conversa para a mesa do Fórum E-commerce Brasil 2020. Alexander Kremer, da chinesa JD.com, mostrou na sua palestra como a China já abraçou esse modelo e beneficiou com isso. Veja mais no resumo do E-commerce Brasil.

Carrinho de compras em miniatura sobre uma mesa. Ao fundo, pessoa usa computador com cartão de crédito na mão.

O futuro está nos nichos

O Fórum E-commerce Brasil trouxe grandes nomes nessa sua edição global. Um deles foi Chris Anderson, jornalista e autor do livro “A Cauda Longa” – uma das obras mais respeitadas do varejo.

Chris divulgou, em sua palestra, exemplos de consumo de conteúdo para ilustrar seu ponto. Ele mostrou como o mundo está se tornando cada vez mais harmonioso para nichos, e não apenas para o mainstream – para o tradicional. Quando pensamos em mídia, isso está claríssimo: não há mais um monopólio da TV à cabo ou do cinema: hoje existem produções do YouTube, Netflix, Amazon, etc.

E quando esses começaram a se tornar gigantes, outras segmentações foram surgindo, outros canais ainda menores foram se popularizando. Anderson defende que o mesmo acontece com o consumo: quando se “corta a cabeça” do tradicional, o nicho ganha mais espaço.

Trazendo para a realidade do e-commerce, vivemos exatamente nessa era de “cortar cabeças” do mainstream. O varejo está crescendo em um ritmo descomunal na internet desde o início da pandemia: mais de 135 mil novas lojas digitais foram criadas. Todas elas surgem para abastecer um nicho, para resolver uma demanda que os principais marketplaces não conseguem suprir 100% do tempo.

Te recomendo fortemente a leitura do resumo dessa palestra do Fórum E-commerce Brasil 2020. Ele traz dados de mercado que comprovam sua hipótese e mais alguns pontos muito interessantes.

Em fundo verde, origami de papel com pessoas se conectando pelos braços.

Um passo além do Social Selling: o Conversational Commerce

Nosso último texto aqui no blog do Amplia Vendas fala justamente sobre esse assunto: meios de vender por meio das mídias sociais dentro da própria conversa. Já viu? Então depois dá uma conferida que vale a pena.

Nesse texto – vale salientar que escrevi antes de ver essa palestra do Rapha Vasconcellos, do Facebook – eu estava falando sobre o Whatsapp Pay e como ele inaugurava uma nova era das compras pelas mídias sociais. Ao invés de ver um produto com um link que me leva para o site, vamos poder comprar (e vender!) dentro da própria rede social, durante uma conversa.

Imagine você atendendo um cliente no Facebook, tirando dúvidas sobre uma peça do seu e-commerce. De repente, ele decide comprar. Rapha destaca que o projeto do Facebook é para que a venda possa acontecer ali, naquele momento, sem a necessidade de encaminhar o cliente para o seu e-commerce.

Homem deitado no sofá usando o celular e segurando a logo do Facebook Messenger com a mão.

O Fórum E-commerce Brasil 2020 mostrou como marketplaces crescem mais que os lojistas

Esse título pode até parecer óbvio, mas a discussão levantada no Fórum E-commerce Brasil 2020 por Sucharita Kodali, vice-presidente da Forrester Research, é tão válida quanto “esquecida”.

Pense comigo: a Amazon é um grande marketplace. Quanto mais a Amazon cresce, mais os lojistas que anunciam lá crescem também, certo? Bom, isso na teoria. Sucharita mostrou que, na prática, não é bem por aí.

Os gigantes da tecnologia, especialmente Amazon, Facebook e Google, estão faturando bilhões anualmente e crescendo em níveis extraordinários. Porém, marcas que vendem nessas plataformas (nesse caso, mais na Amazon) e anunciam, não crescem tanto.

Gráfico de crescimento ascendente em vidro com pessoa, de camisa branca, ao fundo.

Sucharita continua seu raciocínio no Fórum E-commerce Brasil 2020 destacando que essa é uma tendência mundial. Os e-commerces e marcas próprias precisam investir profundamente em marketing próprio e maneiras de vender de forma independente dos marketplaces para obterem sucesso.

Se você está pensando em montar uma loja virtual para, principalmente, vender em marketplaces, o resumo da palestra é especialmente relevante pra você. Faça a leitura completa nesse link aqui.

E aí, o que você achou desse resumão do Fórum E-commerce Brasil 2020? Não pudemos nos encontrar por lá dessa vez, mas ano que vem somos presença garantida. Quem sabe a gente não se encontra?

Se tiver alguma dúvida ou quiser ampliar essa conversa, deixe uma mensagem nos comentários que será um prazer te responder. Mas, se preferir, também podemos continuar conversando nesse próximo texto.

Até logo e um forte abraço!