Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Quais são os maiores e-commerces do mundo?

Quase todo o mundo, em algum momento, já teve curiosidade em descobrir quais são os maiores e-commerces do mundo. E é justamente essa lista que eu trago hoje para você.

Se você me acompanha aqui no blog, sabe que eu sempre vou além de só te apresentar uma lista – e não vai ser diferente hoje. Vou te mostrar também os números de cada um desses gigantes, sua história e o que eles fizeram de diferente para ser o que são hoje.

Assim, você pode buscar inspiração nos maiores e-commerces do mundo para dar seus próximos passos – mesmo que seu negócio esteja numa escala menor, como a grande maioria dos negócios no mundo.

O que você vai ver aqui são exceções, empresas que deram muito mais certo que a grande maioria, mas todas trazem um aprendizado. Animado? Então vamos nessa!

Baixe o e-book grátis!

Quinto lugar: B2W Digital (US$ 17,3 bilhões)

Fluxograma que mostra logo da B2W em maior destaque e empresas pertencentes ao grupo.

Claro que não poderíamos deixar de ter um representante brasileiro na lista dos maiores e-commerces do mundo. O maior marketplace do Brasil já nasceu grande, com a fusão entre Submarino, Shoptime e as Lojas Americanas – detentora de 60% das ações.

Vale lembrar que quando ela surgiu, em 2006, os smartphones nem existiam e o acesso à internet era bem restrito. Comprar online então, nem se fala. Mesmo assim, com um capital de R$6,5 bilhões, na época, eles eram a terceira maior empresa do setor no mundo.

Seu foco com essa fusão e nos passos seguintes sempre foi a economia de recursos, principalmente em relação à logística. Por isso, eles foram comprando várias empresas ao longo do caminho, como a Tarkena, em 2013, para inteligência de fretes.

#DicaAmplia: Para economizar na logística, você não precisa fazer como a B2W, que é um dos maiores e-commerces do mundo, e comprar uma empresa inteira de otimização de fretes. Na verdade, algumas ações bem simples já dão grandes resultados – veja quais são elas com o meu texto “Como economizar no e-commerce? Estoque, embalagem e envio”.

Hoje ela inclui ainda o Soubarato, outlet do conglomerado, Ingresso.com e várias outras subempresas, como a AME (cashback do grupo), Submarino Finance (promotora de crédito) e Americanas Empresas (B2B).

Quarto lugar: Ebay (US$ 38,19 bilhões)

Logotipo da empresa Ebay em um fundo branco.

Na quarta posição temos ele, que era um marketplace antes mesmo de existir esse nome. Mais que isso, foi o primeiro marketplace colaborativo do mundo, sendo precursor inclusive no esquema de lances e leilão online.

Além do seu valor de mercado, ele não poderia ficar de fora da minha lista de maiores e-commerces do mundo também pela sua importância histórica. Tem noção que talvez, se não fosse por ele lá em 1995, talvez o Mercado Livre nem existisse?

Mas apesar de hoje o eBay estar em uma situação confortável, com lucro líquido de US$ 518 milhões só no primeiro semestre de 2020, na minha opinião ele não envelheceu bem. É exatamente por isso que ocupa apenas a quarta posição no meu ranking de maiores e-commerces do mundo.

Pra você ter uma noção, no começo dos anos 2000, ele era o líder no mercado americano, mas não se atualizou o bastante para brigar de igual para igual com as gigantes que foram aparecendo. Hoje, vale menos de um décimo do Walmart e tem valor de mercado pelo menos 40 vezes menor do que a Amazon.

Então, o que fica de aprendizado da eBay para você é sobre não se acomodar. As vendas online são muito dinâmicas, então, mesmo se você tem uma situação confortável agora, procure sempre se reinventar.

Terceiro lugar: Walmart (US$ 344.4 bilhões)

Caixa de entregas feitas pelo e-commerce Walmart em fundo neutro. Há uma pessoa entregando a encomenda a outra.

O Walmart já foi a maior empresa do mundo, e hoje ainda é considerado o maior varejista. Porém, esse sucesso está muito mais relacionado com suas mais de 11.000 lojas físicas pelo mundo do que pelo seu e-commerce – que ainda brilha, mas nem tanto quanto as empresas 100% online.

Se fosse para escolher uma característica do Walmart na posição de um dos maiores e-commerces do mundo seria o seu Omnichannel. Desde o seu surgimento, na década de 60, os seus negócios vão de supercenters a mercadinhos de bairro que carregam os mesmos valores.

Quando a rede cresceu a ponto de seu fundador não conseguir visitar todas as lojas, Sam Walton criou um canal de TV, a Walmart TV Network, para passar uma mensagem padronizada a todos os shoppers. O mesmo nível de preocupação se mantém ativas até as vendas via telefone.

Essa estratégia multicanal faz com que a empresa como um todo venda mais que a Amazon, por exemplo. Mas como estou analisando apenas os maiores e-commerces do mundo, não posso dar uma classificação melhor para o Walmart do que a número 3.

#DicaAmplia: Se você também quer ter uma estratégia para vender no físico e no online, te dou o maior apoio! Mas você precisa saber que cada tipo de venda exige estratégias distintas. Veja o meu comparativo no plano de negócios para e-commerce: como montar?

2. Alibaba (US$ 545,4 bilhões)

Logo da empresa Alibaba Group com imagem e grafia. O texto é escrito em inglês e chinês.

E a medalha de prata dos maiores e-commerces do mundo vai para essa empresa chinesa que muito provavelmente você não conhece. Mas e quanto ao Ali Express? Pois bem, o grupo também é dono do e-commerce de importação e de ao menos outras cinco empresas.

Esse conjunto de negócios é a principal característica do grupo que iniciou suas atividades apenas com vendas B2B entre países lá em 1999. Vale lembrar que, nessa época, a relação entre empresários chineses e de outros países era bem conturbada.

Depois daí surgiram o Ali, voltado para vendas B2C internacional, e o Taotao, feito apenas para o mercado Chinês – e é aí que começa a força desse império.

Num fluxograma simples, os chineses compram no site do Taotao, o pagamento é feito pela Ant Financial e a entrega pela CaiNiao. E todas essas empresas são Alibaba.

O monopólio do segundo entre os maiores e-commerces do mundo é tão grande que, para ser um dos maiores marketplaces do mundo, eles nem precisam cobrar por transações, como é feito aqui. Todo o seu lucro de U$70.6 bilhões/ano vem de anúncios e das transações bancárias.

Primeiro Lugar: Amazon (mais de US$1 trilhão!)

Logo da empresa Amazon na tela de um celular. O fundo da imagem é neutro.

Alguma surpresa que o marketplace do Jeff Bezos estaria na primeira posição dos maiores e-commerces do mundo? Na verdade, não só maior e-commerce como também a maior empresa entres todas do mundo, se analisarmos o valor de mercado.

A empresa, que nasceu em 1994 como uma simples loja de livros, hoje vende tudo “de A a Z”, como sugere a sua logo – incluindo produtos próprios e inovadores, como Kindle e Assistentes pessoais.

#DicaAmplia: hoje é possível comprar até carros na Amazon! Se você ficou curioso para saber mais, leia sobre vender carros online: marketplaces já apostam na tendência.

A cada dia, a empresa coleciona números grandiosos e recordes atrás de recordes, se consolidando ainda mais como o primeiro entre os maiores e-commerces do mundo. Eu listei alguns deles referentes a 2020, que foi o melhor ano para a empresa:

É indiscutível que a Amazon mudou o jeito de comprar e faz isso todos os dias. Inovação é a palavra de ordem, desde quando foi a responsável por mostrar ao mundo o potencial dos marketplaces até hoje, sendo a cara do e-commerce do futuro.

Falando nisso, eu tenho um texto bem interessante que faz justamente esse comparativo entre a história do maior entre os maiores e-commerces do mundo. Com essa linha de raciocínio eu respondi a pergunta de 10 entre 10 donos de lojas online: Qual é o futuro do e-commerce?

Ficou curioso? É só clicar e descobrir. Até lá!

Monte seu site hoje com o Amplia